Desafio em dobro

Inspetor Evaney

Pensei que 27 de julho de 2008 seria um dia como outro qualquer. Acordei cedo e, por ser o último dia de aula antes das férias de julho, entraria às 06:30h. Cheguei ao trabalho para cumprir minha rotina como de costume. Um pouco mais tarde, por volta das 09:00h da manhã, um dos alunos me perguntou se a professora Sílvia Helena estava presente para tirar algumas dúvidas.

Prontamente fui até a sala dos professores e, ao constatar que ela não estava, me virei, girei o corpo e acabei torcendo o joelho esquerdo.

Devido à dor insuportável, segurei a perna e consegui me arrastar até um sofá que ficava na entrada da sala. O inspetor Maurício, que estava presente na sala, sem pensar veio me prestar os primeiros socorros. Logo em seguida, entrou o Geil, que, ao ver o ocorrido, foi ao ambulatório e buscou uma cadeira de rodas para me conduzir até o Hospital Santa Rita, onde passei pelos exames iniciais. Passados 3 dias com o joelho já desinchado, porém ainda dolorido, fui ao Hospital São Luiz, e o dr. pediu uma ressonância magnética.

Descobriu então que havia rompido o menisco e o ligamento cruzado unilateral. Jamais imaginava a gravidade do acidente!

Quando fui informado que teria que passar por uma cirurgia no joelho, a preocupação me veio à mente, não me imaginava naquela situação. No dia 08 de agosto de 2008 lá estava eu… Lembro-me de que passei a manhã em jejum, cheguei ao hospital no horário marcado e iniciaram-se os preparativos para a cirurgia. A última coisa de que me lembro foi de estar numa maca e o médico me avisando que viria me buscar…

Apaguei, pois a injeção que me aplicaram teve um efeito repentino… Acordei às 21:30, um pouco inconsciente e com muita fome.

A primeira pessoa que vi foi minha esposa que lá aguardava o meu despertar… Uma hora depois, o médico foi até o quarto me falar que a operação tinha sido um sucesso, assim me senti aliviado! E me informou ainda que havia colocado dois pinos no joelho. Após 41 sessões de fisioterapia, 45 dias de afastamento, voltei ao trabalho.

Quatro meses após a cirurgia, já podia correr.

Minha vida tinha voltado ao normal.

Porém, passados 8 meses, retornei ao médico, pois estava sentindo muitas dores no joelho direito. Para minha surpresa, foi constatado que o menisco do joelho direito rompeu-se devido à sobrecarga que o lado direito do corpo estava tendo devido à cirurgia anterior e, como num filme repetido, estava eu passando por nova cirurgia, longas sessões de fisioterapia, cansaço, dores nas pernas… O pesadelo de meses atrás havia voltado, mas tinha em mim uma única certeza: a de que venceria mais um desafio.

Inspetor Evaney

[vimeo 32665049 480 360]